Um conto de Fadas

Era uma vez…

há muito tempo atrás, duas pessoas muito felizes, chamadas Tim e Maggie, com duas crianças chamadas John e Lucy.

Para entender como eram felizes, você precisa entender como eram as coisas naquele tempo:

– Veja, naquele tempo, todo mundo, quando nascia, ganhava um macio e pequenino Saco de Carinhos. Sempre que uma pessoa punha a mão no saquinho, podia tirar um Carinho Quente. "Carinhos Quentes eram sempre exigidos porque sempre que alguém ganhava um Carinho Quente, este fazia a pessoa se sentir quente e aconchegada, cheia de carinho. As pessoas que não recebiam vivam regularmente em perigo de pegar uma doença nas costas, que as fazia murchar e morrer."

Naquele tempo, era muito fácil receber Carinhos Quentes. Sempre que alguém tinha vontade, podia chegar para a gente e dizer: ”Eu gostaria de ter um Carinho Quente”. A gente então metia a mão na sacola e tirava um Carinho do tamanho da mão de uma garotinha. Assim que o Carinho via a luz do dia, ele sorria e desabrochava num grande e felpudo Carinho Quente.

A gente então o colocava na cabeça, no ombro ou no colo da pessoa, e ele se desmanchava e se misturava com a pele, e a pessoa se sentia toda bem.

As pessoas vivam pedindo Carinhos Quentes umas das outras, e …

já que eram dados de graça, nunca havia problema em conseguir Carinhos suficientes. Sempre havia de sobra e por causa disso tudo mundo era feliz e se sentia quente e cheio de carinho durante a maior parte do tempo.

Um dia uma BRUXA má ficou brava porque todo mundo era tão feliz e ninguém comprava poções e ungüentos. A BRUXA era muito esperta e inventou um plano muito malvado:

Numa linda manhã a BRUXA chegou perto de Tim enquanto Maggie estava brincando com a filha, e cochichou no ouvido dele:

Olhe, Tim, veja todos os Carinhos que Maggie está dando para Lucy. Você sabe, se ela continuar assim, vai acabar com eles e não sobrará nenhum para você!”.

Tim ficou muito admirado. Virou-se para a BRUXA e disse:

“Você está querendo me dizer que não é sempre que existe um Carinho Quente na sacola?”.

E a BRUXA disse:

Não, de jeito nenhum, e uma vez que eles se acabam, não há mais. Você não ganha mais”.

Dizendo isso, a BRUXA foi embora voando numa vassoura, dando gargalhadas o tempo todo.

Tim levou isso a sério e começou a reparar sempre que Maggie dava um Carinho Quente para outra pessoa. Aos poucos foi ficando muito preocupado, porque gostava dos Carinhos Quentes de Maggie, e não queria desistir deles. Certamente não achava que era certo Maggie ficar gastando todos os seus Carinhos Quentes com as crianças e outra gente. Começou a se queixar toda vez que via Maggie dar um Carinho Quente a outra pessoa, e pelo fato de Maggie gostar muito dele parou de dar Carinhos Quentes para as outras pessoas, reservando-o para Tim.

As crianças viram isso e logo começaram a ter a idéia de que era errado ficar dando Carinhos Quentes toda vez que alguém pedia, ou sentissem vontade de dar.

Elas também ficaram muito cuidadosas.

Prestavam atenção nos pais, e sempre que percebiam que um dos pais estava dando Carinho demais para outros, também começavam a protestar. Elas também estavam ficando preocupadas em não desperdiçar os Carinhos Quentes.

Mesmo que sempre encontrassem um Carinho Quente toda vez que punham a mão na sacola, enfiavam a mão cada vez menos, e foram ficando cada vez mais mesquinhas. Logo as pessoas começaram a perceber a falta de Carinhos Quentes, e começaram a se sentir menos quentes e menos acarinhadas. Começaram a murchar e às vez alguma pessoa morria por falta de Carinhos Quentes. Cada vez mais gente ia à BRUXA para comprar poções e ungüentos, mesmo que estes não parecessem funcionar.

Bem, a situação estava ficando muito séria mesmo. A BRUXA que estava vendo tudo isso não queria realmente que as pessoas morressem (já que pessoas mortas não podiam comprar suas poções e ungüentos), e assim inventou um novo plano:

Todo mundo ganhou um saquinho que era muito parecido com o Saco de Carinhos, com a diferença que esse saco era frio, enquanto o Saco dos Carinhos era quente. Dentro do saquinho da bruxa havia Espinhos Frios.

Estes Espinhos Frios não faziam as pessoas se sentirem quentes e acariciadas, mas em vez disso fazia com que elas se sentissem frias e espetadas. Porém evitava que as costas das pessoas murchassem. Assim, daí por diante, sempre que alguém dizia “ Eu quero um Carinho Quente”, as pessoas, que tinham medo de acabar com seu suprimento, diziam: “ Não posso te dar um Carinho Quente, mas você quer um Espinho Frio?”. Ás vezes, duas pessoas iam uma de encontra a outra, achando que podiam conseguir um Carinho Quente, mas um deles sempre mudava de opinião e acabava dando ao outro Espinhos Frios.

Então, o resultado final foi que, enquanto algumas pessoas estavam morrendo, muitas delas ainda estavam felizes e se sentiam frias e espetadas.

A situação ficou muito complicada porque desde a vinda da BRUXA, havia cada vez menos Carinhos Quentes para se achar; assim,…

os Carinhos Quentes, que antes eram julgados grátis como o ar, ficaram extremamente valiosos.

Isso fez que as pessoas fizessem todo tipo de coisas para consegui-lo. Antes de a BRUXA chegar, as pessoas costumavam se reunir em grupos de três, quatro ou cinco, nunca se preocupando muito com que quem estava dando Carinhos Quentes para quem. Depois que a BRUXA apareceu, as pessoas começaram a se ajuntar em pares, e reservar todos seus Carinhos Quentes exclusivamente para a outra do par. As pessoas que se esqueciam e davam Carinho Quente para outra pessoa, imediatamente se sentiam culpadas, porque sabiam que provavelmente seu parceiro ia se aborrecer com a perda de um Carinho Quente.

Pessoas que não conseguiam encontrar parceiros generosos precisavam comprar seus Carinhos Quentes, e precisavam trabalhar muitas horas para conseguir o dinheiro.

Algumas pessoas, de algum jeito, se tornaram “populares”, e recebiam uma porção de Carinhos Quentes, sem terem que retribuí-los. Estas pessoas então vendiam estes Carinhos Quentes para gente que era “impopular” e que precisava deles para sobreviver.

Outra coisa que aconteceu foi que algumas pessoas pegaram os Espinhos Frios, que eram ilimitados e de graça, os cobriram com uma cobertura branquinha e estufada, e passaram-nos como se fossem Carinhos Quentes.

Esses Carinhos Quentes falsificados eram na verdade Carinhos Plásticos, e causavam dificuldades. Por exemplo, duas pessoas se juntavam e trocavam livremente os seus Carinhos Plásticos, e isso presumivelmente devia fazer com que elas se sentissem bem, mas elas acabavam se sentindo mal. E já que pensavam que tinham estado trocando Carinhos Quentes, essas pessoas ficavam muito confusas com isso, e não percebiam que esses sentimentos de espetadas frias eram o resultado de eles terem trocado Carinhos Plásticos.

Então a situação ficou muito grave, e tinha começado com a vinda da BRUXA que tinha feito as pessoas acreditarem que algum dia, quando menos esperassem, poderiam enfiar a mão no Saco dos Carinhos Quentes, e não encontrar mais nenhum.

Não faz muito tempo, uma mulher com grandes quadris, nascida sob o signo de Aquário, chegou a essa terra infeliz. Ela parecia não ter ouvido falar da BRUXA malvada, e não se preocupava que os Carinhos Quentes acabassem. Ela os dava de graça, mesmo quando não eram pedidos. Eles a chamaram de Mulher dos Quadris e a desaprovaram porque ela dava para as crianças a idéia de que não deveriam se preocupar com que os Carinhos Quentes terminassem. As crianças gostaram muito dela, porque se sentiam bem perto dela, e passaram a dar Carinhos Quentes sempre que tinham vontade.

Os adultos ficaram muito preocupados e decidiram impor uma lei para proteger as crianças do desperdício de seus suprimentos de Carinhos Quentes.

A lei dizia que era crime distribuir Carinhos Quentes de maneira descuidada, sem uma licença.

Muitas crianças, porém, não pareceram se preocupar; apesar da lei, continuaram a trocar Carinhos Quentes sempre que tinham vontade e sempre que alguém pedia.

Pelo fato de existirem muitas, muitas crianças…

quase tantas quanto adultos, parecia que talvez eles conseguiriam seguir o seu caminho.

E agora é difícil dizer o que vai acontecer:

As forças da lei e da ordem dos adultos forçarão as crianças a parar com sua imprudência?

Os adultos se juntarão à Mulher dos Quadris e às crianças, achando que sempre haverá tantos Carinhos Quentes quantos forem necessários?

Os adulto lembrar-se-ão dos dias que seus filhos querem fazer voltar?

Anúncios

Sobre Sabino

Aproximei pelo que vi, permaneci, ou não, pelo que descobri.
Esse post foi publicado em Saúde e bem-estar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s