Chica da Silva e a Luxúria

Casa de Chica da Silva - Diamantina/MG

Casa de Chica da Silva - Diamantina/MG

Chica desceu à senzala
Banhou-se em ervas então
As negras faziam feitiço
Soprando sobre o coração

Então se fez sedutora
Mostrando seu corpo pro céu
Suas formas brilharam pra lua
Tão quentes debaixo do véu.

Casa de Chica da Silva - Diamantina/MG

Casa de Chica da Silva - Diamantina/MG

Primeiro encantou Sardinha
Depois ao João enlouqueceu
Ele fez dela rainha
Ela fez dele só seu

Deitava em cama dourada
Coberta de rosas assim
Ali prendia seu homem
Por dias e noites sem fim

Morro do Cruzeiro avistado da Casa de Chica da Silva

A lua brilhava lá fora
branca, branca, deslumbrante
mas na cama ela ascendia
como o sol do seu amante

A ele nada negava
Tendo-o sempre saciado
pois assim jamais veria
Outra mulher ao seu lado

As mucamas silenciosas
Andavam pelos corredores
Pois se incomodassem a sinhá
Dela sofreriam as dores

E assim passou o tempo
E ela não envelhecia
Dizia sempre se gabando
Que na cama renascia!

Anúncios

Sobre Sabino

Aproximei pelo que vi, permaneci, ou não, pelo que descobri.
Esse post foi publicado em Literatura e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Chica da Silva e a Luxúria

  1. path disse:

    Uma história emocionante a escrava que virou rainha em pleno século XVIII. Atrevida e muito inteligente, chica conquistou marido rico, deixou de ser escrava e escandalizou a sociedade hipócrita de sua época, sempre esnobando a nobreza que antes a chicoteava movida pela cobiça do diamante.Apaixonada pelo marido
    ela está disposta a defender sua relação com unhas e dentes, batendo de frente com a sociedade preconceituosa
    Ainda contrariando os mitos criados em torno dela, Chica tampouco era uma devoradora de homens. Teve filhos com apenas dois. O primeiro ainda com seu primeiro dono, o médico. Todos os outros 13 rebentos tiveram o mesmo homem como pai, João Fernandes, durante os 17 anos em que viveram juntos. Os dois nunca foram casados oficialmente, mas viveram em concubinato até o contratador de diamantes viajar para Portugal, em 1770 – ele foi defender sua herança após a morte do pai e não voltou mais.
    Minas tem cultura, história parabéns eu adorei
    beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s