Chica da Silva e a Inveja

Nuvens negras a caminho de Diamantina

Nuvens negras a caminho de Diamantina

Chica acorda entre brocados e o
peito nu do seu amante
o galo já canta, pois é tarde
e o sol brilha radiante

Vem lhe servir escrava nova jeito
doce, rara beleza
tudo está ao gosto da chica flores,
frutas frescas em sua mesa.

Eis que os negros lábios abrem
mostrando um tesouro assim
que encanta ao contratador o tal
sorriso de marfim

Portal

Portal

A Chica que não era santa
põe logo a mesa abaixo
perde o humor, expulsa a negra
e sua inveja se agiganta

Corre diante do espelho
Sorri, não se satisfaz.
E logo em seu pelourinho
Faz valer o capataz

Arraquem os dentes da negra
Um a um que eu quero ver
Se ela serve ao meu homem
Com sorriso de prazer.

Anúncios

Sobre Sabino

Aproximei pelo que vi, permaneci, ou não, pelo que descobri.
Esse post foi publicado em Literatura e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s